Buscar
  • Claudio Bertolino

O Feedback dos Treinos

O atleta passa algumas vezes próximo ao treinador, que interrompe o treino antes do combinado...Os sinais emitidos pelo atleta, como semblante, postura de corrida e frequência respiratória, deixaram claro que algo não estava bem, e não era o dia para aquilo tudo. Uma relação de experiência e conhecimento é que permite tal leitura, intervenção e ajustes, sem maiores danos, e sem a necessidade de um feedback pelo atleta.

Os detalhes a se observar sobre uma única sessão de treinos, além do planejamento geral podem ser tantos, que programas elitizados contemplam no máximo 6 atletas por treinador, onde este poderá conhecê-los profundamente, acompanhar todos os treinos, captando as minúcias e ajustando assim que necessário.


A imagem acima mostra a posição de apoio das mãos sobre os joelhos em pé, que se observa nas situações de esforço máximo ou submáximo; é uma resposta postural onde o tronco se projeta mais à horizontal fazendo o corpo retornar a um estado mais calmo quanto à frequência cardíaca e respiratória. É uma bela jogada do sistema nervoso parassimpático, tanto que a realizamos somente quando precisamos, e a mensagem é clara.


Estes foram exemplos do que se pode atingir a partir das mensagens de um importante tipo de comunicação, mas como foco veremos outros, mais tangíveis e adequados à realidade amadora do praticante da corrida.

O Feedback é o café da manhã dos campeões

Kenneth Blanchard

Vamos adotar um modelo comum de aplicação dos treinos, por planilha semanal individualizada, de maneira presencial, semipresencial ou à distância, embora muitos processos, por motivos próprios, ainda o desconsiderem ou ignorem.


Para exemplificar feedback de treinos, traçaremos um breve perfil do praticante, seu procedimento quanto ao feedback e os ajustes ou hipóteses do treinador como resposta, ressaltando que esses poucos casos aqui relatados foram situações reais extraídas dentre muitos outros casos do tipo de processo de treinos aplicado pelo Clube da Corrida.

Atleta A | Perfil

Amador, com mais de 10 anos praticando Corrida, treina entre 4 e 5 vezes por semana, visa saúde e performance, consegue algum destaque regional em sua categoria, tendo participado de muitas provas, inclusive de várias maratonas.

Feedback | Na quarta-feira da semana 29 de 2019, na ausência do treinador, o atleta concluiu seus tiros de 1000m em média 2% mais fracos do que o prescrito, e também relatou “cansativo” quanto à percepção do esforço.

Intervenção | O cruzamento dos dados aponta para um ajuste na intensidade do próximo estímulo similar.

O Atleta B | Perfil

Amador, com menos de 2 anos praticando Corrida, treina 3 vezes por semana objetivando a correção e manutenção dos indicadores da saúde.

Feedback | Na semana 28 de 2019, acometido por uma gripe, o atleta não realizou nenhum dos treinos, comunicando essas informações.

Intervenção | Regressão do volume da semana seguinte, assim como o da intensidade de um dos treinos.

O Atleta C | Para Qualquer Perfil

Feedback | Sem feedback

Intervenção | Aberta, e as opções estão entre a manutenção, regressão ou aumento do volume e intensidade da semana e de estímulos, a depender do quanto o treinador pôde observar e lembrar-se da presença do atleta nos treinos, e até mesmo do perfil do treinador.

De um lado o treino presencial visto integralmente, no outro extremo o treino a distância, cujo treinador nada acompanha; em comum o feedback do treinado, tanto mais necessário quanto menor o contato entre os dois.

32 visualizações

© 2016 by Clube da Corrida       >>>>   Siga:

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon