O Treino a Distância: Como Funciona?

por Cláudio Bertolino 

A tecnologia estreitou rapidamente a distância para a difusão, troca de informação, para o ensino e mais recentemente até para o trabalho remoto, e assim, chegou o futuro que viabilizou recursos com modelos inimagináveis até pouco tempo atrás, especialmente a algumas áreas, a ponto de instituições estruturadas e consolidadas no ensino presencial, investirem a maioria de suas fichas num nicho bem mais enxuto e que promete os mesmos resultados.

A modalidade a distância para a aplicação dos treinos de corrida aborda, ao menos inicialmente, várias questões do ensino da disciplina, como a técnica, domínio de ritmo, etc...e depois segue quase que exclusivamente com prescrição e execução dos treinos.  Não menos importante que a questão sobre como funciona a orientação e toda dinâmica do treinamento a distância para os participantes de corridas de rua, é a resposta que a antecede: o treino a distância para corredores funciona?

 

Bem, para início de conversa, neste caso não há um paralelo ao ensino a distância formal, das disciplinas mais comuns, sob a regulamentação e validação de uma entidade como o MEC, nem padronizações específicas, então, o que regula o processo e seu grau de funcionamento é a habilidade da interação entre treinador e treinado, além de outras capacidades.   

Em tese e a princípio, nada se igualaria ao contato integralmente presencial, em nenhum tipo de ensino ou treinamento, mas isso tem se relativizado. Acostumado, sem opções, por toda minha fase mais produtiva na carreira atlética, distante do treinador, num tempo em que um simples contato por telefone convencional ainda era difícil, suponho a tendência de se originarem compensações, tanto para o treinado quanto para o treinador, no caminho de uma boa resolução do processo.

 

A experiência teórico-prática do treinador, assim como seu feeling, têm um grande peso no sucesso do treino a distância, porque sua capacidade de questionamentos precisos, leitura momentânea do que se desenrola, prognósticos, readequações e ajustes rápidos, garantirá um rumo certo. Do outro lado, o interesse por feedbacks constantes, também precisos e em tempo hábil, é a parte mais importante que cabe ao aluno/atleta para que possa atingir seus objetivos.

Pontos a Favor do Treino a Distância

- O aluno/atleta tem a possibilidade da escolha por um treinador em função de sua capacitação ou linha de trabalho, e não somente em função da distância entre os dois;

- O aluno/atleta treina de acordo com sua agenda diária e no local preferido, sem depender dos horários e locais impostos pelo profissional que o orienta;

- Algumas pessoas muito introspectivas dispensam até mesmo a companhia do treinador. Elas preferem, ainda que de maneira orientada, utilizar todo o tempo em treino com reflexões e sozinhas;

- Quando a presença do treinador cria alguma forma inexplicada de pressão ou autocobrança exagerada por eficiência ou resultados, a melhor solução pode ser alguma distância dele.

Pontos Contra o Treino a Distância

- Num ou noutro treino é bem vinda uma intervenção instantânea na forma de ajuste, feito pelo treinador, antes ou até durante o mesmo, dificultada ou impossibilitada pela distância;

- Sinais corporais e de semblante, comentários antes durante ou pós-treino, que refletem condições como o nível de fadiga do aluno/atleta, são parâmetros importantes na modulação mais precisa das cargas de treinos pelo treinador;

- Os incentivos advindos da presença e ou de palavras do treinador, podem fazer muita diferença para a manutenção do interesse pelos treinos numa fase de rotina extensa ou pesada.

- Muitos detalhes técnicos ou da preparação são percebidos ou lembrados, e esclarecidos durante os encontros para os treinos; e caem no esquecimento por conta da distância.

Modelos do Nicho

Modelo Genuíno, onde o corredor e o treinador vivem a uma distância que impossibilita a orientação presencial; esta não acontece, ou acontecerá esporadicamente.

Modelo Semipresencial, quando a orientação presencial acontece geralmente 1 a 2 vezes por semana, do total de 3 a 6 treinos semanais.

Modelo de Incompatibilidade de Agendas, onde corredor e treinador vivem próximos; a distância entre eles não impede os encontros, mas suas agendas de horários/tarefas diárias não permite as orientações diretas.

 

A tendência de maior ocorrência da contratação por um praticante de corrida, para o modelo genuíno de treino a distância, é pela escolha de um profissional atuante num grande centro, sendo que vários deles têm uma parcela considerável de atletas/alunos a distância.

Depoimentos

Os depoimentos abaixo são de alunos do Clube da Corrida que aderiram a um planejamento a distância, e seus relatos podem nos auxiliar no entendimento das relevâncias pelos pontos abordados, gerando os focos necessários a um melhor atendimento.

 

J.O.- Para mim corrida não é simplesmente colocar um tênis e sair correndo, acho importantíssimo ter uma orientação de quem realmente domina o assunto, para evitarmos possíveis desgastes e lesões. Este acompanhamento, mesmo a distância é fundamental para a melhora da performance. Ter uma planilha é essencial para manter o foco e a disciplina, pois só assim os resultados virão.

Fiz esta opção e estou muito feliz com os treinamentos, os resultados e o acompanhamento.

 

F.S.- Depois da necessidade de me mudar para São Paulo, devido ao trabalho, iniciei um plano de treinamento a distancia com o Clube da Corrida, já que havia recebido um suporte espetacular durante minha vida em Londrina. Na época foi uma decisão difícil e eu sabia que a disciplina e conscientização eram dois quesitos fundamentais para o sucesso. 

O suporte do Clube e a facilidade na comunicação e discussão sobre os treinamentos resultaram no sonho de completar uma maratona apenas seguindo o plano de treinamento enviado e discutido semanalmente, e com muita força de vontade.

© 2016 by Clube da Corrida       >>>>   Siga:

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon